1º milhão: como se ganha e como se gasta o dinheiro?

Tudo começa pelo controle

Você sabe dizer o peso que a soma das pequenas despesas tem em seu orçamento anual?

Isso pode parecer preciosismo, mas tente fazer essa conta. Some seus cafezinhos, as pequenas compras no semáforo, os pequenos gastos com coisas que você acaba jogando fora sem utilizar, os bilhetes de loteria e essas coisas menores, e terá a surpresa de verificar como o seu dinheiro vai embora em pequenas doses.

Inclusive, há, no mercado financeiro, uma frase para isso: sangrar até a morte por causa de milhares de cortes de papel. Embora essa metáfora seja um tanto forte, ela ilustra bem como a soma de pequenos problemas pode gerar perdas importantes no final das contas.

Mas isso também não significa que você deva levar uma vida espartana, à base de pão e água, somente para economizar algum dinheiro. Uma boa vida é aquela em que há equilíbrio. No caso das finanças, devemos fazer o possível para manter somente os gastos e as despesas que são realmente importantes para nosso bem-estar.

Definir o que é importante pode ser algo desafiador. Muitas vezes, por impulso, assinamos serviços e compramos produtos que realmente não necessitamos ou não vamos utilizar. Aquela assinatura de livros que você não lê, ou de serviços de streaming de áudio ou vídeo que você raramente utiliza são bons exemplos de coisas que podem ser cortadas ou substituídas.

Para se ter uma ideia precisa sobre o que fazemos com o nosso dinheiro, é necessário despender tempo e esforço.

O ideal é passarmos pelo menos um ano anotando cada um dos gastos que temos, desde os menores e menos importantes, como a gorjeta que damos ao flanelinha, até aquelas despesas extras como consertar o portão ou uma pequena reforma em casa.

Tudo deverá ser anotado e classificado. Ao fazer isso, ficará bastante claro para nós mesmos o destino do nosso dinheiro. Veremos o peso que cada tipo de despesa representa em nosso orçamento, como alimentação, vestuário, presentes, energia elétrica, gás e lazer.

Olhar para uma planilha com todos esses gastos ao longo de um ano poderá nos ajudar a cortar gastos realmente dispensáveis, e mais do que isso: saber o quanto isso representa em dinheiro. Você poderá, por exemplo, a partir do próximo ano, direcionar essa quantia para investimento em produtos financeiros rentáveis.

Depois de conhecer com exatidão o uso que fazemos do nosso dinheiro, temos condições de tomar decisões sobre o que fazer com o excedente ou, caso não seja possível sobrar algum dinheiro, decidir sobre quais providências deverão ser tomadas para reduzir custos ou, se for possível, aumentar o ganho.

Não há outra fórmula: para sobrar dinheiro, temos que gastar menos ou ganhar mais. Não há outra saída.

Se você ainda não está nesse ponto, dedique-se a fazer sobrar dinheiro no final do mês antes de dar o próximo passo.

Caso esteja pronto, vamos à próxima aula, na qual aprenderemos um pouco mais sobre como construir nossa riqueza.

Descubra os melhores objetivos para seu perfil. Faça parte do Portal do Investimento!

Finalize seu cadastro para ter acesso a este e outros conteúdos do Portal do Investimento!

Começar Agora

Teste seu aprendizado

Um dos fatores mais importantes para começar a investir é pelo desenvolvimento da consciência sobre o uso que fazemos do nosso dinheiro. O que podemos fazer para desenvolver essa consciência e fazer sobrar dinheiro?
menu