Títulos do Tesouro: o que é Tesouro Direto?

Títulos do Tesouro

Quando se pensa em investimentos de renda fixa, as primeiras coisas que vêm à mente de muitas pessoas são os Fundos de Renda Fixa e a Poupança.

A Poupança, idealizada por D. Pedro II em 1861, é uma forma de captação de recursos pelo governo, que remunera o investidor a uma taxa determinada pelo Banco Central.

Os Fundos, por sua vez, são compostos por uma carteira de títulos públicos e privados cuja rentabilidade está ligada a indicadores econômicos como, por exemplo, Taxa Selic ou IPCA.

Entre esses títulos, encontram-se os títulos do tesouro, que nada mais são do que títulos de dívida emitidos pelo Tesouro Nacional, que têm por objetivo captar recursos para financiar atividades do governo federal, tais como infraestrutura, saúde e educação.

Para o governo, os títulos podem ser usados também como instrumento de controle da inflação, já que, pelo aumento ou diminuição da taxa de juros, o governo poderá, através desses títulos, injetar ou retirar moeda de circulação, o que terá uma influência direta no consumo das famílias.

Diferentemente dos ativos de renda variável, em que o retorno não pode ser medido no momento da aplicação, os títulos públicos são ativos de renda fixa, o que quer dizer que seus rendimentos podem ser conhecidos no momento do investimento.

Antigamente, o investimento em títulos do tesouro só podia ser feito pela pessoa física de forma indireta, por meio dos conhecidos fundos de renda fixa, que cobravam altas taxas de administração.

Somente a partir de 2002, quando o programa "Tesouro Direto" foi desenvolvido junto com a B3 (que tinha o nome de BM&F Bovespa à época) para venda de títulos federais para pessoas físicas através da internet, que os títulos do tesouro se tornaram populares.

Todos os títulos públicos possuem uma data de resgate, mas, caso seja necessário, o investidor tem a possibilidade de vender seus títulos antecipadamente e a preço de mercado. Esse programa de recompra funciona todos os dias do ano, o que se traduz em liquidez diária para seus títulos.

O investidor deve ter em mente que os preços dos títulos flutuam ao longo do ano e, se ele quiser receber exatamente a renda que contratou na compra do título, deverá levá-lo até o dia do vencimento. Lembre-se: a renda é fixa, mas o preço pode variar.

O tesouro direto contribuiu para diversificar o mercado de investimentos para a pessoa física, trazendo mais opções para o investidor.

Na próxima aula, vamos comentar mais sobre os diferentes tipos de títulos oferecidos pelo Tesouro.

Descubra os melhores objetivos para seu perfil. Faça parte do Portal do Investimento!

Finalize seu cadastro para ter acesso a este e outros conteúdos do Portal do Investimento!

Começar Agora

Teste seu aprendizado

Qual a data de criação do Tesouro Direto?
menu