Portal do Investimento

Bem-vindo, Investidor

Complete seu cadastro e
acesse ferramentas exclusivas

Sua mente afeta o seu bolso (parte 2)

por Pedro Brum

No dia 14 de setembro, lancei aqui nesta coluna o artigo ‘‘Sua mente afeta o seu bolso’’, no qual conversamos sobre três vieses comportamentais que afetam diretamente o estado emocional e a performance dos investidores na bolsa. Naquele momento, falamos sobre: home bias, ancoragem e aversão à perda.

De fato, esses são péssimos comportamentos que o investidor normalmente possui, mas, infelizmente, não são os únicos. A ideia é elucidarmos alguns outros para que você fuja de uma vez por todas desses vícios que atrapalham diretamente a sua performance de longo prazo.

O comportamento mais evidente nos investidores que acabaram de chegar na bolsa é o efeito manada. Nos últimos anos, vimos exemplos clássicos desse viés, tanto em ativos que subiram muito, quanto em ativos que caíram. A ação da Magazine Luiza, por exemplo, atraiu uma infinidade de investidores. Muitos porque ouviram de conhecidos que haviam entrado e que a performance estava sendo boa.

Em alguns momentos, conversei com investidores iniciantes que mal sabiam o ramo de atuação da empresa, mas estavam convictos na compra, simplesmente porque um grupo de amigos também entrou. Esse movimento, apesar de ser claramente equivocado, é muito comum para quem está chegando no mercado.

Uma vez que o iniciante é levado ao mercado pelo efeito manada e ganha dinheiro, mesmo que seja por pura sorte, naturalmente ele apresenta o excesso de confiança. Esse comportamento ocorre quando o investidor se sente completamente confiante e confortável em realizar operações em bolsa, já que teve um histórico recente positivo.

Apesar das facilidades apresentadas em anúncios hoje em dia, o mercado não é trivial e escolher as melhores empresas leva tempo, estudo e muita dedicação para montar uma carteira sólida e lucrativa. A sorte pode o acompanhar no começo, mas, cedo ou tarde, o mercado irá contra e a confiança nos ativos será o pilar principal para que você não se desfaça destes na hora errada.

Nós, investidores, precisamos ter atenção, confiança e uma opinião isenta de vieses com cada movimento que realizamos na bolsa. Uma vez que você está totalmente focado em comprar ações de uma empresa, é de extrema importância ter clareza sobre a real situação desta, para que não faça a escolha apenas olhando o lado bom e, negligenciando o lado negativo. Esse comportamento é conhecido como viés da confirmação.

O curioso é notar a ligação entre os três vieses comportamentais que conversamos aqui e perceber que, muita vezes, eles funcionam de uma vez só com o investidor. Vamos exemplificar em ordem cronológica.

A pessoa está em um evento e escuta um grupo de colegas falando entusiasmadas sobre a compra de ações da Petrobrás. No dia seguinte, ela resolve fazer o mesmo. Por sorte, a empresa começa a subir e gerar um resultado interessante. Como deu certo, ela se sente super confiante e confortável para operar no mercado, mesmo sem nenhuma experiência. No segundo momento, a operação começa a dar errado e o investidor passa a buscar apenas informações positivas para sustentar a sua escolha pela empresa naquele momento.

Ter clareza e consciência do seu nível de investidor é, com certeza, um dos fatores que farão você evitar as armadilhas invisíveis. Nos últimos 5 anos, ajudei milhares de investidores a mitigar esses impulsos.

Nossa assessoria, além de técnica, explica bastante os conceitos comportamentais para que nossos clientes evitem passar por situações difíceis. Conte com conosco!

Encontre as melhores maneiras de conquistar seus objetivos de investimentos.

Pedro Brum

Pedro Brum

Pedro Brum é sócio do Portal do Investimento e atua com operações estruturadas e mesa de operações.