Portal do Investimento

Bem-vindo, Investidor

Complete seu cadastro e
acesse ferramentas exclusivas

Cadê a minha reserva de oportunidade?

por Pedro Brum

Há 2 meses, estávamos todos bem, otimistas com o cenário projetado pelos analistas de mercado e usando todo o nosso caixa para comprar ativos. Eu não sei se essa era a sua situação, mas era a de um grupo enorme de investidores.

Quando estamos em um bull market (mercado de alta), tudo o que conseguimos economizar, tendemos a colocar em bolsa. Mesmo quando já temos participação relevante em renda variável, ver toda aquela festa e não estar exposto à renda variável o máximo possível não é fácil.

Imagino que o amigo leitor já tenha visto muito conteúdo de investimentos no Youtube ou, até mesmo, lido livros sobre o assunto. Esse tipo de conhecimento é fundamental, mas nada é mais educativo do que a prática, ou o que chamamos no mercado de “skin in the game” (pele em jogo).

Não ter uma reserva de oportunidade custa muito caro. Entenda que o meu relato aqui não faz nenhuma referência ao sofrimento do investidor ao ver sua carteira se desvalorizar 30% em uma crise. Apesar de não ser fácil, acredito que a dor de não poder comprar boas empresas pela metade do preço pode ser ainda maior para os que realmente têm perfil agressivo.

Vamos analisar o cenário de um investidor de longo prazo que não acumulou dinheiro em caixa para a reserva de oportunidade:

João passou os últimos 3 anos surfando o bull market, com performance média de 20% ao ano. Ele aportava todos os meses o que sobrava do salário e não guardava mais nada. Passou esse tempo todo comprando a empresa XYZ, que tem fundamentos bem sólidos e paga bons dividendos, pela cotação de 10 reais.

A cotação da empresa apresentou forte desvalorização e chegou ao patamar de 6 reais na última semana. É verdade que esse movimento precifica uma expectativa de diminuição de receita ou lucro no curto e médio prazo, mas o João tem a convicção de que dois anos após a crise, tudo voltará ao normal. Só tem um problema: faltam quatro semanas para o próximo salário e, consequentemente, para o próximo aporte.

Além disso, se ele tivesse guardado um valor relevante, conseguiria diminuir substancialmente o seu preço médio de compra, realizando essas execuções a 6 reais. Ver essa oportunidade gigantesca à sua frente e não poder aumentar a posição é muito frustrante.

Fica o aprendizado para o João e para todos os outros investidores de longo prazo que acompanham essa coluna. É importante traçarmos a estratégia e seguir exatamente todos os seus pontos. Já que estamos nesse assunto, adicionaria também a reserva de emergência. Vamos aos três pilares!

Aporte

Essa de fato é a parte mais importante. Disciplina ao longo dos anos para comprar ações e fundos imobiliários todos os meses é a chave para o sucesso. Aqui eu coloco por volta de 70% do capital disponível e vou escolhendo bons ativos para ser sócio.

Reserva de oportunidade

É a principal razão deste artigo. Não é fácil ver promoções incríveis e não poder aproveitar. Imagino que, nos próximos 10 anos, passaremos por alguns momentos tão difíceis como o de hoje; portanto, este ítem será fundamental na nossa estratégia. Utilizar 20% do capital disponível para esta reserva é um bom número!

Reserva de emergência

Precisamos preservar a nossa carteira. Imprevistos são normais e ter que vender um ativo para pagar uma conta ou cobrir uma despesa de última hora foge do plano original. A reserva de emergência está aqui para isso. É verdade que grande parte das pessoas possui cartão de crédito ou, até mesmo, crédito de curto prazo disponível no banco, mas o ideal é você não tomar esse dinheiro e usar a reserva de emergência. Aqui, eu coloco 10%.

Não existe uma regra. Esses são percentuais que uso e acredito que possam ser importantes para a minha realidade. A ideia é que esses três pilares andem sempre juntos para que um proteja o outro.

Na nossa assessoria gratuita, oferecemos informações para que você tenha confiança para montar a sua própria carteira e percentuais em cada uma dessas opções. Os investidores têm muitas dúvidas, como qual ativo de renda fixa usar na reserva de oportunidade e na reserva de emergência.

Como cada um tem um perfil e valor específico para alocar, coloco-me totalmente à disposição para conversarmos no meu e-mail ou, até mesmo, no meu whatsapp pessoal.

Espero você!

Contatos:

E-mail: pedro.brum@portaldoinvestimento.com.br

Whatsapp: 22 988289610

Descubra os melhores objetivos para seu perfil.

Pedro Brum

Pedro Brum

Pedro Brum é sócio do Portal do Investimento e atua com operações estruturadas e mesa de operações.